Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/123456789/228
Title: Estudo das propriedades estruturais e ópticas do pó cristalino e cerâmica de tugstato de cálcio
Authors: Carvalho, Emanoel Silva
Keywords: Cintilador
Tungstato de Cálcio - Propriedades físicas
Tungstato de Cálcio - propriedade ópticas
Tungstato de cálcio - propriedades estruturais
Issue Date: 2017
Citation: CARVALHO, E. S. Estudo das propriedades estruturais e ópticas do pó cristalino e cerâmica de tugstato de cálcio. Monografia (Licenciatura em física) - Instituto Federal de educação, ciência e tecnologia do sertão pernambucano, Campus Salgueiro, Salgueiro - PE, 40f., 2017.
Abstract: Neste trabalho são estudadas as propriedades estruturais e ópticas do cintilador tungstato de cálcio na forma de pó cristalino e de cerâmica, visando á compreensão da sua luminescência.A amostra de pó cristalino foi sintetizada por método de reação do estado sólido, os precursores CaCO3e WO3foram misturados e após calcinado a 800ºC. O pó resultante foi misturado a álcool polivinílico, prensado e depois sinterizado a 1000ºC para a produção da cerâmica.A fase cristalina das amostras foi investigada pela técnica de difração de raios-X e confirmada sua existência, não foi observada fase secundária.A estrutura das amostras foi investigada por microscopia óptica, que resultou na identificação de partículas ou aglomerados de pó cristalino com tamanhos entre 1µm e 2µm, e cerâmicas superiores a 10µm. As propriedades ópticas do pó cristalino e da cerâmica foram investigadas por radioluminescência e por espectroscopia ultravioleta e visível (UV-VIS). A radioluminescência das amostras apresentou uma única banda de emissão centrada em 450nm quando irradiado com raios-β a temperatura de -253ºC. Á temperatura de 126ºC, o pó cristalino emite em 410nm e a cerâmica em 360nm (UV), ambos com bandas alargadas devido ao aumento da quantidade de elétrons que ocupam níveis mais excitados ao absorver energia térmica.Quando a temperatura das amostras irradiadas com raios-βaumenta, a intensidade da luz diminui. Para 126ºCo pó emite 40% da intensidade total e a cerâmica 50%, esse efeito ocorre por que aumenta a probabilidade de decaimento não radiativo com o aumento da temperatura. A radioluminescência exibida pela cerâmica ao ser irradiada com raios-X têm emissão em aproximadamente 440nm e intensidade relativa mais baixa que a do pó cristalino devido á auto absorção da luz. A espectroscopia de absorção UV-VIS mostra que a cerâmica tem maior absorção óptica que o pó, ou seja, é menos transparente, com banda localizada em cerca de 400nm. O gap óptico foi estimado experimentalmente em 4, 4eV.
Description: Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a Coordenação do curso de Licenciatura em Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, campus Salgueiro, como requisito parcial à obtenção do título de licenciado em Física.
URI: http://releia.ifsertao-pe.edu.br:8080/jspui/handle/123456789/228
Appears in Collections:Licenciatura em Física (Campus Salgueiro)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

Admin Tools